quarta-feira, novembro 21, 2007

nice dream, nice dream



ela, não sei porque, estava na minha casa e participava de um tipo de reality show.
ia tomar banho. e esse banho seria televisionado.
mas o banheiro era o do apto de uma tia, em juiz de fora: aquecedor a gás.

era minha visita. minha convidada.
como ela entendia muito bem de física, imaginei que não precisava de explicações sobre o funcionamento do aquecedor, apesar da insistência da minha mãe.

fui acompanhar o programa pela tv, junto com o resto da família.
na mesma hora vi que uma coisa muito errada aconteceria. e aconteceu.
ao vivo, milhares de pessoas viram o aquecedor explodir e ela virar fumaça.

eu não sabia o que fazer, fiquei desorientada. sabia que o marido dela ligaria a qualquer momento. ele também deveria estar acompanhando o programa.

fui pro banheiro.
no lugar onde ela estava, um monte de pó. era tipo serragem, meio dourada.
lembro que eu soprei um pouco desse pó que estava por cima de um armarinho.

chega minha mãe e vê aquele monte de pó no canto.
saiu do banheiro e voltou com um pote, daqueles de sorvete, cheio de água. e foi colocando todo o pó nesse pote, misturando com a água. falava: "ainda dá tempo, ainda dá tempo".
de repente, ela me deixa com a mistura e vai buscar alguma coisa: "coitada, vai sentir muita dor". (*)
voltou com um vidro de algum remédio. acho que era uma combinação de analgésico com calmante. e virou o conteúdo no tal pode.


não sei como, ela voltou a ser formar. pedaço por pedaço.
até que parou.

mas ela estava menor do que antes.

maior que uma anã, mas menor que seu tamanho original.


e eu lembrei do pó que eu tinha soprado.
era uma parte dela.

mas fazer o que? inês era morta.
não, não era.
mas também, não era inês mesmo.


o celular dela começou a tocar. era o marido.
passei o telefone pra ela e os dois conversaram calmamente.
não se importaram com a falta de alguns centímetros.






(*) essa parte eu acho que é culpa do douglas adams.

3 comentários:

nemo disse...

e eu com meus sonhos banais!

p.s.: será que ela, por acaso, é quem estou pensando?

fernanda disse...

depois que eu li de novo vi que dava pra imaginar que ela era quem vc pensou.
mas não era não. vc não a conhece.
:)

tati disse...

tá assistindo heroes, guel? lá nem precisa de remedinho pra isso acontecer. é pá e pum.