domingo, junho 18, 2006


Animais: Se você ama uns... Por que come outros?


O ato de comer carne está tão enraizado em nossos costumes que nunca paramos e nos perguntamos o que realmente significa se alimentar de outros animais. As embalagens dos supermercados nos mostram animais saudáveis e felizes em fotos ou desenhos, ou então vendem pedaços de animais em bandejas de isopor cobertas por plástico transparente. Tudo sem sangue, sem cara, cortado e esterilizado, pronto pra comer.

Como quase todas as pessoas comem carne, acreditamos que isso é correto e sem qualquer conseqüência. Mas não é bem assim. Há pouco mais de 100 anos as pessoas tinham escravos em suas casas e isso era considerado normal. Mas os costumes mudaram e a escravidão foi abolida. Da mesma forma que as pessoas perceberam que a cor da pele não justifica o sofrimento de outro humano, está na hora delas pararem para pensar na maneira como tratam grande parte dos animais. Por que alguns merecem o status de membros da família, enquanto outros têm vidas miseráveis e existem apenas para virar comida?

Além de ser uma crueldade desnecessária contra estes seres, o consumo de carne causa problemas ecológicos, de saúde e econômicos.

Crueldade

Animais sentem. Sentem carinhos que lhes são feitos, sentem dores que lhes são causadas. Os animais percebem o que está ao seu redor e buscam coisas que sejam boas e agradáveis, enquanto fogem de coisas ruins e dolorosas. Qualquer pessoa pode perceber isto. Mas o que não conseguimos perceber é que nós também causamos sofrimentos aos animais sem haver qualquer necessidade disso, simplesmente por luxo, costume ou vaidade. Manter animais vivos apenas com o intuito de matá-los é uma crueldade. Especialmente quando porcos, frangos e bois são confinados em espaços minúsculos e apertados, onde passam a vida inteira espremidos uns contra os outros.

E o mais curioso de tudo isso é que nós escolhemos que animais vão morrer e que animais merecem viver. Gatos, cães e pássaros são mantidos vivos por serem domesticáveis ou por serem simplesmente “bonitos”. Todos os demais podem ser mortos, porque não simpatizamos com eles, que não são “fofos” ou afeiçoáveis.

Amar alguns animais e aceitar que outros morram é incoerente. E o único modo de alimentar os seres humanos com animais é fazendo com que eles sofram suas vidas inteiras. Podemos perfeitamente nos alimentar de vegetais. Se o consumo de carne não é imprescindível e se causa aos animais dor, sofrimento e morte, então o consumo de animais é errado.

Meio Ambiente

Dados obtidos nos Estados Unidos demonstram que os animais criados para serem comidos pelos humanos produziram em 1996 cento e trinta vezes mais dejetos do que toda a população daquele país. E não é só isso: as pastagens para gado e as plantações de grãos utilizados para alimentar as criações animais são uma das principais causas de desmatamento de florestas no mundo. Mais de 25% das florestas da América Central, por exemplo, já foram devastadas para virarem pastagens. No Brasil, 16% da Amazônia vieram abaixo pelo mesmo motivo.

Florestas como essas são vitais para a vida na Terra e para a manutenção do clima, além de serem também uma reserva ainda não pesquisada de plantas que podem conter princípios ativos que beneficiem toda a humanidade, como os laboratórios americanos já perceberam faz tempo. Consumir animais, portanto, é anti-ecológico.

Saúde

O consumo de animais também não é nada bom para a saúde dos seres humanos. Um estudo do Dr. T. Colin Campbell, da Universidade Cornell, nos EUA, analisou a relação entre a dieta e a saúde humana. Ele chegou à conclusão de que 80 a 90% de todos os tipos de câncer, doenças do coração e do sistema vascular podem ser prevenidos até uma idade bem avançada se a pessoa deixar de se alimentar com produtos animais.

Diversas outros doenças, como os meios de comunicação informam regularmente, estão ligadas ao consumo de carne, entre elas diabetes e artrite. Além disso, nas fazendas de criação são aplicadas aos animais doses excessivas de hormônios e antibióticos. Todos esses produtos químicos permanecem na carne dos bichos, que é ingerida por nós, e acabam se acumulando em nossos corpos.

Efeitos Sociais e Econômicos

840 milhões de pessoas no mundo todo, incluindo 200 milhões de crianças, passam fome. Curiosamente, 40% dos grãos que são colhidos são utilizados para alimentar as criações de animais. Só nos Estados Unidos elas consomem 1/3 de todos os grãos colhidos no mundo.

Estima-se que, para cada quilo de carne obtido de um animal, são utilizados 40 litros de água. Em um mundo em que a água potável é cada vez mais escassa e um racionamento é iminente, gastos desse tamanho são um desperdício.

Muitos pesquisadores acreditam que o vegetarianismo é o único modo de alimentar totalmente a população humana, que cresce cada vez mais. Uma pesquisa do Escritório de Referência Populacional – Population Reference Bureau – concluiu que se toda a humanidade adotasse uma dieta vegetariana, a produção atual de alimentos seria suficiente para 10 bilhões de pessoas, número superior às previsões populacionais para o ano de 2050.

E o que você pode fazer?

Parar com os abusos aos animais é um trabalho longo e difícil, que exige o esforço de muitas pessoas para mudar uma realidade que encara a crueldade como algo comum. Mas você pode ser uma dessas pessoas e fazer a diferença, parando de consumir animais.

Não coma carne, peixes, aves, porcos, caça, ou qualquer produto que envolva matança ou sofrimento de animais. Existem deliciosas alternativas vegetais para todos os pratos que usam carnes. Além dessas alternativas serem livres de crueldade, são mais baratas do que os pratos com carne e muito mais saudáveis.

Não se vista com pele, penas ou couro de animais. Também existem alternativas sintéticas e com fibras vegetais para todos os tipos de tecidos e produtos utilizados para a confecção de roupas, calçados e acessórios. Além de igualmente bonitos, são livres de crueldade e mais baratos.

Não compre produtos testados em animais. Testes em animais são desnecessários, cruéis, obsoletos e não servem de garantia nenhuma para a segurança humana. Produtos não testados em animais geralmente contém essa informação em seus rótulos. Listagens de empresas que não testam em animais podem ser encontradas na internet.

Esteja à frente do seu tempo e viva uma vida livre de crueldade!

Um comentário:

Bean disse...

eu juro que eu tento, eu juro que eu tento, mas.....
um dia vou parar de comer carne. te juro.